“Ídolos”: Ministério Público dá razão ao jovem ridicularizado em 2015. Este exige cem mil euros

Daniel Rebelo participou no concurso de talentos da SIC em 2015 e sentiu-se ridicularizado pela produção do programa, que lhe aumentou as orelhas na pós-produção. O Ministério Público (MP) deu razão à acusação e o jovem pede uma indemnização de cem mil euros.

O MP deu razão ao jovem que acusou de difamação seis profissionais da SIC – entre elas, Júlia Pinheiro, na altura diretora de conteúdos, e Gabriela Sobral, diretora de programas, – noticiou o “CM”. “Os arguidos, através de efeitos especiais e manipulação de imagem, transmitiram imagens das orelhas do assistente [Daniel Rebelo] sempre a aumentar de forma ridícula e exagerada”, esclareceu órgão jurídico.

Em causa está um vídeo que foi transmitido durante um dos episódios do programa, ainda na fase de “castings”, em que Daniel Rebelo surge a cantar ao mesmo tempo que as suas orelhas são aumentadas através de um efeito colocado pela produção do programa.

O episódio aconteceu na chamada “fase dos cromos” do formato, em que os concorrentes com menores potencialidades vocais eram alvo de paródia por parte dos jurados e da produção.

Desta vez, porém, a produção terá ido longe de mais, de acordo com a acusação. O advogado do jovem considera que as milhares de visualizações do vídeo, nas redes sociais ou no YouTube, chegaram a “todos os amigos e conhecidos” e ao “povo em geral”, que passaram a “intitulá-lo como o ‘Orelhas'”.

O antigo concorrente do conhecido programa da SIC apresentado por João Manzarra exige uma indemnização de cem mil euros, na sequência dos insultos e gozo de que foi alvo. “Deixou de frequentar a escola, o que levou à consequente perda do ano letivo, deixou de comer, emagrecendo de forma preocupante, deixou de dormir, de sair e de conviver com os seus amigos”, referiu ainda o advogado, citado pelo mesmo jornal.

Recorde-se que Daniel Rebelo fez, mais tarde, uma otoplastia, uma intervenção cirúrgica que permite a correção de orelhas proeminentes.

TEXTO: Mafalda Carraxis