Iva Domingues e o pai: “Durante anos culpabilizei-me por não lhe ter dito que gostava dele”

Fotografia: Instagram Iva Domingues

Iva Domingues tinha 13 anos quando o pai morreu, vítima de um enfarte. A apresentadora contou, numa entrevista dada a Cristina Ferreira, que “foi a primeira lição para a vida, mais dura”, que aprendeu.

Foi “num domingo de manhã”. Iva Domingues tinha 13 anos. “Íamos para um casamento do melhor amigo do meu pai e ele morreu. Assim. Num domingo de manhã. Teve um enfarte e morreu. Foi a primeira lição para a vida, mais dura, que eu aprendi”, conta a apresentadora numa entrevista dada a Cristina Ferreira.

Passaram-se 27 anos, mas Iva continua a sentir saudades. “Tenho muitos momentos em que pensa que relação teria com ele agora. Como seria? Quais os conselhos que me daria? Mas tenho a certeza que ele me diria ‘vai’. ‘Vai'”, desabafou, referindo-se à mudança que empreenderá em julho, quando deixar Portugal e for viver para os Estados Unidos, onde a filha Carolina, de 15 anos, poderá estudar realização cinematográfica.

Apesar da mudança e dos projetos futuros em território norte-americano – onde será correspondente da TVI em tudo o que tenha a ver com a indústria de Hollywood -, a apresentadora, de 40 anos, frisa que esse episódio familiar fez com que não projete “muito as coisas porque tudo acaba de um momento para o outro”.

Aprendi isso muito cedo e foi muito brutal. Eu tive a certeza que ele ia morrer e não quis vê-lo. Refugiei-me no meu quarto. Foi a pior coisa que fiz. Durante anos culpabilizei-me porque não lhe ter dito que gostava dele

Iva Domingues confessou ainda que se houve um momento em que teve “pena” de o pai, professor de português, “não estar lá” foi quando nasceu a filha, fruto da sua união com o jornalista Pedro Mourinho. “Estava lá toda a gente, menos ele”.

TEXTO: Ana Filipe Silveira