Mariana Monteiro vive momentos de preocupação. “Tenho a minha irmã na Florida”

Mariana Monteiro vive momentos de preocupação com a chegada do furacão Irma à Florida. As autoridades competentes ordenaram a retirada de 5,6 milhões de pessoas das suas casas, cerca de 25% da população daquele estado norte-americano.

O furacão Irma, de categoria 4 (uma abaixo do máximo na escala Saffir-Simpson), poderá tocar território no sul da Florida na madrugada deste sábado para domingo. Mariana Monteiro não esconde a sua preocupação com o fenómeno natural, que provocará “condições que ameaçam a vida”.

“Tenho a minha irmã na Florida e por isso tenho acompanhado mais intensamente as notícias do furacão Irma. Há que rezar pela Florida e pelo mundo”, confessa a atriz, de 28 anos, manifestando esperança “que os governantes de Portugal e de todo o mundo estejam cada vez mais conscientes de que é preciso cuidar do ambiente como quem cuida de um filho”. “A natureza manda mais do que nós… Apesar de na maioria das vezes fazermos parecer o contrário, na forma como a tratamos”, frisa, recordando ainda o verão “carregado de incêndios” e “agora, pelo mundo fora, sismos e furacões que mostram a nossa impotência perante a força maior, que é a mãe natureza”.

“[É preciso] Preservar os recursos, porque a finitude deles é bem real. Penalizar quem maltrata o ambiente, sem que seja necessário remediar ao invés de prevenir”.

As primeiras chuvas e consequentes cortes de eletricidade associados à passagem do furacão Irma, considerada a mais forte tempestade alguma vez gerada no Atlântico, já se fizeram sentir este sábado de manhã em Miami (Florida, sul dos Estados Unidos), onde se espera que as condições meteorológicas piorem à medida que o dia avança.

TEXTO: Ana Filipe Silveira