Adelaide Ferreira / 58 anos. Da Eurovisão à ficção: a história real da “baby suicida”

Para uma certa geração ela é cantora das baladas irresistíveis dos anos 80. Mas Adelaide Ferreira, que neste 1 de janeiro completa 58 anos, tem uma longa carreira na representação.

“Baby Suicida” “Papel Principal”, “Dava Tudo”, “Quero-te, Choro-te, Odeio-te, Adoro-te” ou “Penso em Ti (Eu Sei)” são alguns dos seus maiores sucessos na música ligeira portuguesa.

Foi precisamente com esta última balada que ganhou em 1985 o Festival RTP da Canção, ganhando direito a representar Portugal na Eurovisão. Terminaria num penúltimo lugar (era a sina naqueles tempos…).

Recorde aqui a atuação no Festival.

A carregar vídeo...

A vida de Adelaide Ferreira, que há dois anos voltou a tentar a sua sorte no Festival da Canção, “para mostrar que estava viva”, não foi só ligada às cantorias.

Fez cinema em “Kilas, o Mau da Fita”, em 1980, um filme de José Fonseca e Costa, fez teatro e foi atriz de televisão, participando em séries como “Duarte & Companhia”, “Alves dos Reis”, “Um Estranho em Casa”, ou em novelas como “Morangos com Açúcar”, “Ganância”, ou “Podia Acabar o Mundo”, onde interpretou a espanhola Mercedes.

A carregar vídeo...

TEXTO: Nuno Azinheira