Ameaças e insultos. A piada de Raminhos que correu mal e motivou um pedido de desculpas

O humorista fez uma piada sobre os ciclistas a imaginar o dominó que não seria se um carro atropelasse vários amantes das duas rodas. Os praticantes não gostaram e ameaçaram e ofenderam António Raminhos, que teve de se explicar.

Uma piada e um resultado… desastroso. O comediante brincou com os ciclistas e imaginou o que sucederia se um pelotão fosse atropelado, mas os visados não gostaram e choveram os insultos e as ameaças. As coisas ganharam uma proporção tão grande que o também ator teve de se explicar – e desculpar -, nas redes sociais.

“No outro dia fiz uma piada sobre ciclistas e que deixou esta comunidade ofendida, alguns. Basicamente era que às vezes apanhas 50 gajos à frente e pensas ‘ahhh se der só um toquezinho neste é tipo dominó’. É a visão idiota do automobilista. A grande diferença é que na minha cabeça eu vi um toque brincalhão… encostar para o lado. Uma imagem cómica, figurativa, de um tropeção. Nada mais”, começa por esclarecer António Raminhos.

Mas o feitiço virou-se contra o feiticeiro: “O problema é que percebi que do lado dos ciclistas a imagem é violenta, de acidentes graves, de sustos, porque é essa a sua realidade. Não a minha e por isso nunca me passou pela cabeça. E não tenho problema nenhum em pedir desculpa por isso e percebo que há quem reaja emocionalmente. Não estou a incentivar violência, não quero que ninguém morra. Violência comecei eu a receber com ameaças, malta a chamar-me de tudo”, lamenta.

“Não há nada melhor do que a capacidade de rir daquilo que nos pertence ou pelo menos de ver o outro lado das coisas, porque dores temos todos”, acrescenta. E dá outros exemplos: “E as piadas que há sobre peregrinos a Fátima? E não morrem também na estrada? Quem já me viu ao vivo sabe que gozo com a morte da minha mãe, o aborto que sofremos, o meu irmão deficiente e acham que esses temas não me assombram de quando em vez? Mas não me impede de ver o outro lado”, defende.

“Não quero que achem piada, mas apenas que compreendam que essa maldade não existe na minha realidade. Ironia das ironias? Hoje estive a gravar com estes ciclistas para homenagearmos quem anda de bicicleta todos os dias a caminho do trabalho. Vai ficar muito giro. Contei-lhes a piada e antes de terminar já estavam a falar do dominó e riram-se, simplesmente porque perceberam a minha imagem… e depois chamaram-me estúpido”, conta.

“Mas isso já esperava. Malta amiga e comediantes dizem-me ‘caga neles’. Não cago porque não gosto de ser incompreendido e porque o meu ego me permite perceber que há quem se possa sentir ofendido e pedir desculpa por isso. A sério. Passem a mensagem aos vossos amigos ciclistas que me andam a querer espetar uma roda na testa. Não sou um mau tipo e fico mesmo muito triste quando não compreendem o que quero dizer”, remata.

TEXTO: Rui Pedro Pereira

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.