António Raminhos admite ficar pior do transtorno nas férias em Itália

Raminhos
Fotografia: Instagram Antóniio Raminhos

António Raminhos confessou que tem sido difícil aproveitar, por completo, as férias em Itália com a família por ficar pior do transtorno obsessivo compulsivo.

O humorista já falou várias vezes sobre os problemas de saúde mental que enfrenta regularmente. Desta vez, o comediante teve um desafio diferente: estar de férias com a família fora do país.

“Às vezes é muito difícil para mim estar de férias. É das coisas mais idiotas que se pode dizer. Como é que se pode estar mal com temperaturas de 35 graus, praia e mamas? Sim, porque já o disse aqui, eu gosto muito de mamas, nem que seja só ver. Mas é verdade, passar férias fora do meu país é, sobretudo, perder o controlo”, partilhou.

António Raminhos
Fotografia: Instagram António Raminhos

“É ficar hiper vigilante, com dúvidas sobre tudo. Não conhecer as ruas por onde passo, os restaurantes, as pessoas… como se estivesse sempre um perigo à espreita. É muito injusto para quem está comigo. Ao mesmo tempo, acredito que seja de difícil compreensão para quem está de fora perceber como se pode não aproveitar”, prosseguiu.

António Raminhos apelou a quem está de fora para ter compreensão: “Por isso, escrevo estas palavras. Não é um discurso de coitadinho, é de compreensão e aceitação. Para quem está de fora, que compreenda que os medos e dúvidas são reais. Ninguém quer estragar as férias de ninguém”.

Já para quem enfrenta estes problemas de saúde mental, o humorista deixou uma palavra de conforto. “Para quem passa por isto no olho do furacão, que entenda que o mundo não está contra si, que está a fazer o melhor que pode naquele momento. Mas, sempre que possa, não ceda à ansiedade ou ao medo, porque merece ir de férias… pela família, pela vida, mas sobretudo por si! Se num segundo há medo, tristeza ou dúvida no outro pode haver um mergulho, um pôr-do-sol, um passeio… um par de mamas! Está tudo bem e sigam caminho”, concluiu.