“Apenas bons amigos”. Bryan Adams desmente romance com princesa Diana depois do divórcio com Carlos

As especulações em torno do alegado romance entre Bryan Adams e a princesa Diana ganharam novos contornos esta semana, depois de uma entrevista dada pelo músico a um programa de televisão norte-americano.

No “Watch What Happens Live”, conduzido pelo jornalista Andy Cohen no canal Bravo, o apresentador decidiu abordar o assunto e questionou o cantor sobre o livro que o mordomo da “princesa do povo”, Paul Burrell, lançou em 2003 e no qual, além de referir que Diana teve um caso com um cantor famoso, conta também que viu Adams escondido no palácio de Kensington.

O intérprete de “Summer of 69” foi rápido na resposta, argumentando que não se escondia. “Simplesmente entrava” no palácio, diz. O apresentador não ficou convencido e voltou a insistir, questionando se eram “amigos com direito a toque”, ao que Brian sintetizou: “Apenas bons amigos”.

Os rumores que apontam para um romance entre Diana de Gales e Bryan Adams ganharam força em 2003 quando, na sequência do lançamento do mesmo livro, a então ex-namorada do artista, Cecilie Thomsen, garantiu em entrevista ao “Daily Mail” que ele e a princesa tiveram uma relação em 1996, depois do divórcio desta com o príncipe Carlos e que foi o próprio Burrell quem os apresentou.

Na mesma entrevista, a atriz garantiu que Bryan Adams até escreveu com Jim Vallance uma música dedicada à princesa, “Diana”, em 1984, e na qual referia que era ela a “rainha” dos seus sonhos e que no dia em que “se casou” (no caso, com o príncipe Carlos), ele “quase” perdeu a cabeça.

Diana morreu em agosto de 1997, num acidente de automóvel em Paris. Depois disso, Bryan Adams nunca mais voltou a levar o tema com o nome da princesa a qualquer concerto.

TEXTO: Duarte Lago (com DS)