É fã de “Star Wars”? Saiba que vai ter de fazer uma paragem obrigatória em Tondela

O Museu do Caramulo, no concelho de Tondela, inaugura na sexta-feira uma exposição que assinala os 40 anos sobre a estreia de “Star Wars”, considerada a maior saga de ficção científica do cinema.

“The Power of the Force” é o nome da exposição que levará ao Caramulo, “de uma galáxia distante até ao público, uma extensa coleção de brinquedos e cartazes originais, produzidos entre 1977 e 1985”, refere uma nota de imprensa do museu.

Estes brinquedos e cartazes são referentes “aos três primeiros filmes do universo criado por George Lucas nos anos 1970, que mudaram o mundo do cinema e da indústria dos brinquedos e do ‘merchandise'”, acrescenta.

Segundo o diretor do Museu do Caramulo, Tiago Patrício Gouveia, esta é “a primeira exposição temporária dedicada à temática dos brinquedos antigos, uma das coleções permanentes do museu”.

“Estamos muito entusiasmados com ela, pois sabemos que, dentro dessa categoria, estas peças são de facto icónicas e especiais”, referiu o responsável, acrescentando que se trata de “uma exposição obrigatória para qualquer fã de ‘Star Wars’, de cinema, de brinquedos ‘vintage’ ou simplesmente de design”.

A exposição inclui centenas de peças que abarcam todas as figuras originais das personagens icónicas dos filmes, assim como as suas naves, ‘playsets’, embalagens, cartões, ‘merchandise’ e outra memorabilia, inclusive artigos usados na pré-produção dos brinquedos.

“The Power of the Force: Brinquedos e Cartazes da Guerra das Estrelas 1977-85” ficará patente no Museu do Caramulo até 27 de maio.

De acordo com o Museu do Caramulo, a coleção contempla também “uma forte vertente internacional, incluindo muitos brinquedos raros produzidos fora dos Estados Unidos para consumo nos próprios países a quem eram licenciados os direitos de fabrico, como era o caso do Canadá, Japão, Espanha, França, Itália, Inglaterra, Argentina ou Brasil, entre outros”.

Será também mostrado “um núcleo de versões falsificadas de brinquedos feitos por entidades não autorizadas em países como o México, Polónia, Hungria ou Hong Kong”, acrescenta.

O público poderá ainda ver a exposição de cartazes originais dos filmes de várias nacionalidades, como Estados Unidos, França, Itália, Alemanha, Japão ou Checoslováquia, e “viajar no espaço e no tempo com a arte gráfica dos mesmos”.

TEXTO: Lusa