“Estava perdido, infeliz e alcoólico”. Ator de “Missão Impossível” recorda o período mais difícil da sua vida

O ator britânico Simon Pegg, especialmente conhecido pelos papéis que desempenhou em “Missão Impossível” ou “Star Trek”, abriu o coração ao “The Guardian” e revelou algumas dos problemas que o afetaram no passado.

O comediante confessou que, desde a adolescência, é afetado pela depressão e pelo vício relativo a bebidas alcoólicas e contou que esse flagelo se tornou bem evidente durante as filmagens de “Missão Impossível 3”, em 2006.

“Quando revejo esse filme fica claro para mim de como eu estava perdido, infeliz e alcoólico. Foram os meus anos mais críticos”, contou o ator, de 48 anos.

Nessa altura, Simon teve de recorrer ao auxílio de uma instituição no Reino Unido para o ajudar a resolver o grave problema de que sofria, mas relembrou um pormenor que o afetou durante o período de reabilitação.

“Os jornais chegaram ao ponto de telefonarem para a instituição e de fingirem que eram a minha mãe para conseguirem falar comigo”, lamentou o artista na entrevista dada àquele órgão de comunicação britânico.

Ainda assim, Pegg não sente vergonha pelo difícil período que atravessou: “Não tenho vergonha disso tudo, mas também não tenho qualquer orgulho. Nunca foi divertido. Foi simplesmente terrível”.

Ausente do mundo do cinema há três anos, os fãs terão uma nova oportunidade para rever Simon Pegg no grande ecrã ainda durante este mês. “Missão Impossível: Efeito Fallout”, no qual volta a desempenhar o papel de Benji Dunn, tem estreia prevista para 9 de agosto em Portugal.

TEXTO: Duarte Lago (com DS)