Eurovisão: Site de apostas já dá vitória a Salvador Sobral

TEXTO: Nuno Azinheira

A final da Eurovisão acontece esta noite, às 20 h. Site de apostas já dá vitória a Portugal e Google diz que somos o país mais pesquisado.

A RTP tem procurado desde o início resguardar o cantor. “Estamos a tentar protegê-lo numa bolha de conforto”, disse à Notícias TV o chefe da missão da RTP no Eurofestival. Gonçalo Madaíl, também diretor da RTP Memória, reconhece que Salvador “é frágil”. “Clinicamente está ótimo, mas qualquer constipação, qualquer cansaço, qualquer ansiedade adicional reflete-se mais nele do que nos outros”, diz o responsável. Eacrescenta: “A ideia é poupá-lo de todo o stress e por isso ele está fechado nessa bolha de conforto”.

Redes sociais a escaldar, versões de “Amar pelos dois” a chegarem de todos os cantos do Mundo, pedidos de autógrafos, entrevistas internacionais, bolsas de apostas otimistas, sondagens online que apontam para a vitória de Portugal. Se o mediatismo ganhasse festivais, Salvador Sobral já teria inscrito o seu nome na galeria de vencedores da Eurovisão. A final é hoje à noite (20 h, RTP1), em Kiev, são 26 concorrentes, Salvador será o 11.º a atuar.

Madaíl dá conta de um “ambiente fantástico em Kiev”, onde esta noite 26 canções disputam a glória. “Toda a gente quer conhecer o Salvador, toda a gente diz que ele pode ganhar. A própria organização já nos preparou para a eventualidade, explicando os procedimentos em caso de vitória”. No entanto, o responsável da RTP prefere colocar algum gelo na euforia escaldante. “Somos tratados como favoritos e isso é muito bom, mas já sairíamos daqui felizes com a melhor posição de sempre”. Ou seja: 5.º lugar – depois do 6º de Lúcia Moniz em 1996.

Mas o favoritismo é factual: a Google divulgou ontem que “Portugal é o país mais pesquisado [no motor de buscas na Internet] entre todos os países participantes na Eurovisão 2017”. Mais: no site Eurovisionworld.com, que faz média de várias casas de apostas, Portugal estava desde o dia 6 no 2.º lugar do pódio; ontem destronou Itália do 1.º lugar, que ocupava desde 18 de fevereiro. No mesmo site pergunta-se quem vai vencer; até ontem, 20% escolhiam Portugal, 15% a Itália e 8% a Bélgica.

Independentemente da posição, “Salvador já ganhou” – é o que diz João Gobern, jornalista e comentador. “A Eurovisão sempre foi muito fraquinha: seguiu modas, copiou receitas e nunca premiou a originalidade”, diz à Notícias TV. O sucesso de Salvador é o seu “ar frágil de anti–herói”, a “sua “originalidade” e “fantástica música que a irmã Luísa Sobral lhe escreveu”. “Numa era plástica, em que todas as canções têm excesso de cosmética e linguagem plástica, “o Mundo rendeu-se a um jovem que aparece sozinho em palco, que não se veste bem, que não se penteia bem, que não faz coreografia”. Chegará para vencer? Gobern duvida. “As solidariedades geográficas e o peso político são importantes”. Logo veremos.

Televoto conta 50%

Tal como já aconteceu na semifinal de terça-feira, só os portugueses residentes no estrangeiro podem votar na canção “Amar pelos dois”. Segundo as regras da Eurovisão, os habitantes residentes em cada país participante no Festival não podem votar na sua própria canção. A votação decorre via telefone, com um número associado a cada participação, ou através da aplicação oficial. O televoto vale 50%, sendo a outra metade da responsabilidade de um júri de especialistas.