Globos de Ouro. “Boa noite, senhoras e senhores que restam”. Anfitrião arrasou Harvey Weinstein

A 75ª edição dos Globos de Ouro, cuja cerimónia se realizou nesta madrugada de segunda-feira (hora de Portugal), ficou marcada pelas piadas ácidas endereçadas a Harvey Weinstein.

“Boa noite, senhoras e senhores que restam”. Foi assim – com uma clara referência às dezenas de escândalos sexuais que abalaram Hollywood e destruíram as brilhantes carreiras de vários atores e produtores – que Seth Mayers, o anfitrião da 75ª edição dos Globos de Ouro, iniciou o seu monólogo de abertura da cerimónia de entrega dos prémios que honraram os melhores profissionais e projetos de cinema e televisão, filmes e programas televisivos de 2017.

O comediante, com uma longa experiência no programa de humor “Saturday Night Live”, não poupou ninguém e surpreendeu a plateia com o teor pesado e constrangedor das piadas com que animou a noite e cujos principais alvos foram o produtor Harvey Weinstein e o ator da série “House of Cards” Kevin Spacey.

“Harvey Weinstein não está aqui esta noite porque ouvi rumores de que é louco e de que é difícil de trabalhar com ele”, continuou o humorista, que atualmente apresenta o “Late Night With Seth Meyers”, na NBC, e que, apesar da ousadia e da evidente tensão que se sentia na sala, recebeu calorosos aplausos da multidão.

“Muitas pessoas achavam que seria mais apropriado que fosse uma mulher a apresentar o espetáculo de hoje à noite – e podem estar certas –, mas se isto vos faz sentir melhor, não tenho absolutamente nenhum poder em Hollywood”
Seth Meyers

Perante uma plateia maioritariamente a usar preto – como forma de apoio ao movimento ‘Time’s Up’ –, o apresentador continuava sem perdoar a Weinstein. “Estamos em 2018: a marijuana é legal e o assédio sexual finalmente já não é”, acrescentou o anfitrião, para a seguir se apontar a outro alvos: Donald Trump e Kevin Spacey foram algumas das vítimas de Seth Mayers, numa “performance” que parece ter agradado à maioria das estrelas presentes na gala, que ficou também marcada pelo discurso de Oprah.

TEXTO: Mafalda Carraxis