Guida Maria/Óbito. Ministro da Cultura lamenta morte de figura “incontornável do teatro”

O ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes, lamenta profundamente a morte da atriz Guida Maria, ocorrida esta terça-feira, em Lisboa, que recorda no desempenho de “O milagre de Ann Sullivan”, como Helen Keller, no início da década de 1960.

Numa nota de pesar sobre a morte da atriz, o ministro da Cultura recorda que a primeira vez que foi ao teatro, na sua vida, foi para ver esta peça de William Gibson, no Teatro Garcia de Resende, em Évora, após a estreia em Lisboa, em fevereiro de 1963.

Para o ministro, Guida Maria “afirmou-se como uma personalidade incontornável do teatro português”,
e este fica “muito mais pobre com a sua partida”.

Além de enviar condolências à família, Luís Filipe de Castro Mendes, sublinha a determinação e a versatilidade com que Guida Maria interpretou diversas personagens “que continuarão a inspirar-nos” tanto no teatro, como no cinema ou em televisão.

Guida Maria morreu esta terça-feira, aos 67 anos, vítima de cancro.

TEXTO: Lusa