Guida Maria/Óbito. Presidente da República recorda “estilo frontal” da atriz

O Presidente da República lamentou esta terça-feira a morte da atriz portuguesa Guida Maria, recordando o carisma, a vivacidade e o “estilo frontal” da artista, no teatro português.

Numa mensagem na página da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa afirma que Guida Maria “contribuiu em muito” para o sucesso em Portugal da peça “Os monólogos da vagina”, de Eve Ensler, “uma afirmação política da feminilidade”, que fazia jus à personalidade da atriz.

Guida Maria morreu esta terça-feira, aos 67 anos, em consequência de um cancro. O velório realiza-se hoje a partir da 19.00, na Basílica da Estrela, em Lisboa, e o funeral acontece na quarta-feira, às 15.00, da basílica para o Cemitério dos Prazeres, também na capital.

Nascida em Lisboa, em 1950, Guida Maria fez cinema, ficção em televisão, mas sobretudo teatro, tendo participado em cerca de 40 peças, entre as quais “O milagre de Anne Sullivan”, “Maria Stuart”, “Sherley Valentine” e, possivelmente uma das mais conhecidas da carreira, “Os monólogos da vagina”.

A novela “A Única Mulher” (TVI) foi uma das últimas em que atriz participou.

TEXTO: Lusa