Incêndios da Califórnia ameaçam casas de famosos. Há partilha de vídeos e imagens

O estado norte-americano da Califórnia tem sido fortemente afetado por incêndios nos últimos dias e são várias as celebridades que têm as casas em risco. As propriedades de Eva Longoria e Paris Hilton tiveram mesmo de ser evacuadas.

Os incêndios florestais que nos últimos dias têm afetado a Califórnia, nomeadamente na região de Los Angeles, obrigaram cerca de 200 mil pessoas a deixarem as suas casas. As propriedades da socialite Paris Hilton e da atriz Eva Longoria foram evacuadas e o magnata da comunicação social Rupert Murdoch viu a sua propriedade vinícola ser atingida pelas chamas.

Através das redes sociais, Paris Hilton revelou que as chamas estavam próximas de sua casa e agradeceu o trabalho feito pelos bombeiros. “Este fogo é aterrador! Isto parece, literalmente, o inferno! A minha casa está neste momento a ser evacuada para tirar de lá todos os meus animais em segurança. Obrigado a todos os bombeiros que arriscam as suas vidas para salvar as nossas. Vocês são verdadeiros heróis!”

A socialite, de 36 anos, publicou um vídeo no Instagram registado na autoestrada, no qual se podem ver as proporções do incêndio.

A carregar vídeo...

Esta quarta-feira, também Eva Longoria partilhou uma fotografia tirada por uma amiga, na qual se pode ver um enorme incêndio perto da estrada, e deu conta do perigo que a sua casa corria: “Estou em Nova Iorque. O meu irmão está a preparar-se para evacuar a minha casa. Esta é, literalmente, a minha saída na autoestrada. Por favor, parem o que estão a fazer e rezem para que este e todos os incêndios na Califórnia sejam extintos imediatamente. Rezem pelos bombeiros”, pode ler-se na legenda da imagem.

A propriedade vinícola do magnata Rupert Murdoch, dono da “Fox” ou do “Wall Street Journal” também esteve cercada pelas chamas e, ao que tudo indica, a adega terá sido consumida pelas chamas.

De acordo com o jornal “Daily Mail”, também as casas das atrizes Reese Witherspoon, Gwyneth Paltrow e Jennifer Garner foram ameaçadas que pelo fogo, que nos últimos dois dias queimou 32 mil hectares de terra.

TEXTO: João Farinha