José Carlos Pereira: 20 anos depois, ator completa finalmente curso de Medicina

Duas décadas depois de ter ingressado no ensino superior, o ator José Carlos Pereira está a um passo de concretizar um dos seus maiores sonhos: ser médico. O estágio começa agora e, só depois de concluído, lhe é entregue o tão desejado “canudo”.

A nova, e última, fase do curso de Medicina já se iniciou, tal como o intérprete, de 38 anos, deu a conhecer aos seus seguidores na passada segunda-feira, dia 6. “Hoje começo o princípio do fim. A fase final do meu curso. Com tanto trabalho, ensaios e horas de estágio, sei que não vai ser fácil mas sei que vou ser capaz”, escreveu Zeca na legenda de uma imagem em que surge, de sorriso no rosto, na entrada do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures.

“Sei que vou ser capaz. Por mim e por todos
os que acreditam e sempre acreditaram.”

José Carlos Pereira

José Carlos Pereira sempre acreditou, mas colocou para segundo plano a concretização pessoal desta sua ambição aquando da sua entrada para o meio artístico. Datava o ano de 2001 e a TVI estreava a novela “Anjo Selvagem”, em que Zeca fora escolhido para, logo no seu primeiro papel na representação, dar vida ao protagonista da trama.

O sucesso foi tal que finalizar o curso de Medicina acabou mesmo por não ser a sua prioridade, tantas foram e são as personagens que desde aí tem desempenhado em diversos projetos televisivos, sempre para a estação de Queluz de Baixo.

Mas o curso de Medicina nunca foi relegado. “Não está nada esquecido”, dizia, entre gargalhadas, José Carlos Pereira, na entrevista que concedeu no passado mês de julho à N-TV, a mesma em que confirmou ter reatado a relação com Liliana Aguiar, com quem tem um filho, Salvador, que completa dez meses no dia 9.

Não tão pouco o curso de Medicina foi relegado que, 20 anos após a entrada do ator na Universidade, está para breve a sua conclusão, embora Zeca tenha advertido para a dificuldade com que se vai deparar nos próximos meses. É que o ator prepara-se para se estrear, ao lado de Carla Andrino e Ricardo de Sá, no teatro musical, com “A Bela e o Monstro no Gelo”.

TEXTO: Dúlio Silva