Ljubomir Stanisic: “Estou cheio de pica para fazer televisão”

Ljubomir Stanisic
Fotografia: SIC

Com a possibilidade de a SIC gravar a terceira temporada de “Hell’s Kitchen”, o “chef” garante estar pronto para qualquer desafio. E revela, pela primeira vez, o lado humanitário.

Depois de ter estado muito ativo no Instagram e nos seus restaurantes, Ljubomir Stanisic reapareceu em público no Campo Pequeno, para assistir à Gala dos Sonhos, da Associação Sara Carreira.

Para trás ficaram duas temporadas de “Hell’s Kitchen”, em que coloca duas equipas de concorrentes à prova na cozinha, mas a terceira temporada pode estar a desenhar-se nos ecrãs da SIC em 2023. “Perguntem ao Daniel Oliveira (diretor de Programas) ou ao Francisco Pedro Balsemão (CEO da Impresa) se vai haver novo programa na SIC”, limita-se a sugerir o cozinheiro, empresário de restauração e apresentador.

Parco em palavras sobre o tema, Ljubomir Stanisic deixa, ainda assim, uma garantia. “Estou cheio de pica e de garra para fazer televisão e continuar com o meu trabalho, claro que sim. Mas estou também proibido de falar sobre possíveis temporadas…” justifica-se.

Nos últimos tempos, o “chef” viajou até Braga para dar apoio a dois ex-concorrentes, Lucas Fernandes e Rafael Pombeiro. “Welcome to Hell’s! (Já tinha saudades de dizer isto). Este ‘inferno’ da cozinha de fogo fica em Vila Verde, Braga, e abriu esta semana! Orgulho dos ‘meus’, orgulho dos passos que estes ‘meus’ meninos estão a dar na cozinha. Sem medos, com muito trabalho, sempre com rigor. Parabéns, Lucas Fernandes. Rafael Pombeiro, que bom ter-te nestas frentes todas. Estamos juntos!” escreveu numa das últimas publicações no perfil de Instagram.

“Apoio praticamente todas as pessoas que passaram por mim e tiveram uma boa atitude, boa formação. Gosto de acompanhá-los e no caso do Rafael Pombeiro e do Lucas é simplesmente um apoio para ganharem mais força mediática. Aqueles 500 quilómetros não me custaram nada, porque estou a apoiar pessoas que passaram por mim e acho que a minha responsabilidade é sempre dar-lhes a mão”, refere.

Na Gala dos Sonhos, Ljubomir Stanisic foi apoiar amigos. “Como pai consigo pôr-me no papel do Tony Carreira. Sou amigo da família, e seja qual for o trabalho ou associação que tenha uma causa justa, acho que todos devemos contribuir para isso”, afirma.

“O que me trouxe aqui foi a boa vontade e tentar ajudar o máximo possível a uma causa boa. Estive na angariação de dinheiro através de chamadas, as pessoas gostam de ouvir a minha voz… ou não!” brinca.

De seguida, faz uma revelação. “Ser padrinho de um bolseiro? Existem todas as possibilidades, mas já fazemos isso há muito tempo. Já acompanhámos muita gente, até vinda de África, trouxemos pessoas para nossa casa, estiveram com os nossos filhos, pagámos formação, trouxemos para os nossos restaurantes”.

“Esta é a possibilidade que não é pública e nem deve ser, o trabalho humanitário é aquilo que fazemos no nosso coração e não pelo interesse público”, refere, à despedida.