Maria Botelho Moniz revela “desmotivação” e “frustração” como motivos pela saída da SIC

Fotografia: Instagram de Maria Botelho Moniz

Maria Botelho Moniz marcou presença no podcast “Deus no Comando” e falou pela primeira vez da mudança da SIC para a TVI, em 2020.

“Fui muitas vezes abaixo. E o que é mais difícil é: tu sentes que não és a primeira opção durante muito tempo e sentes esse sentimento de injustiça. Sabes que estás a fazer um bom trabalho, chegas a horas, que cumpres, que estudas, que te preparas, que as pessoas gostam, que o feedback é bom… Tens isso tudo a teu favor e continuas a não ser a primeira escolha”, revelou inicialmente.

“Apesar de tudo isso que estás a fazer bem, há um lado teu racional que sabe que obviamente que tu não és a primeira escolha, porque tu estás nisto há menos tempo, porque o público ainda te está a descobrir, tu ainda não és uma cara que toda a gente reconhece, não és uma figura de primeira linha… Isso é um caminho que se faz, mas a vontade é tanta e tu sabes que quando fazes, fazes bem, que há uma frustração de ‘caramba, quando é que é a minha vez?’. Mas sabes que é um caminho que demora tempo”, frisou.

De seguida, a apresentadora lembrou a frustração que sentia: “É muito frustrante quando se passam cinco, seis, sete anos e tu pensas ‘algum dia vai ser a minha vez’. E depois aí questionas. Porque há muitas pessoas que fazem uma carreira legítima e ótima enquanto figuras de segunda linha. Fazes uma vida inteira nesse caminho e ainda bem, mas tu estares a sonhar com mais e não te estar a ser entregue é muito frustrante”.

Em relação ao convida da estação de Queluz de Baixo, a comunicadora garantiu: “Senti que era um passo em frente. Eu não me posso queixar das oportunidades que tive, sempre tive as oportunidades que faziam sentido naquele momento. Mas quando me é apresentada a oportunidade de dar um passo em frente ou subir um degrau, eu não podia dizer que não”.

“E é por isso exatamente que aceito o desafio, primeiro porque adoro ‘reality shows’ e só de pensar fazer parte daquela ‘máquina’ deixou-me muitíssimo entusiasmada; e depois porque eu sabia que era uma transição que ia fazer sentido para um caminho mais a longo prazo que eu queria fazer”, afirmou.

Recorde-se que Maria Botelho Moniz mudou-se para o canal rival em 2020 com o regresso de “Big Brother”; o formato contou ainda com Cláudio Ramos como apresentador das galas de domingo.