Marina Machete: “Fui nomeada para o Miss Universo Portugal sem contar que era transgénero”

Marina Machete
Marina Machete [Fotografia: Instagram/"Praça da Alegria"]

É a primeira mulher transgénero a representar Portugal no Miss Universo. Marina Machete revelou detalhes sobre os momentos que antecederam a nomeação.

Aos 28 anos, e a esbarrar no limite de idade para competir no concurso, Marina Machete foi coroada Miss Portugal. Pela primeira vez, o nosso país vai ter uma mulher transgénero no Miss Universo, o maior concurso de beleza do mundo, que irá realizar-se a 18 de novembro, em El Salvador.

“Fui ao Miss Lisboa, uns meses antes do Miss Portugal, sem a organização saber da minha história. Portanto, eu fui nomeada finalista para o Miss Universo Portugal sem contar que era trans[género]”, revelou a jovem em entrevista ao “Jornal de Notícias”.

“Não houve um momento em que eu contei. Havia uma ficha técnica que eu tive de preencher, qual era a minha ação social, o que eu defendia e qual a minha história de vida. Foi nesse momento que eu transmiti à organização que eu era a Marina, mas também era uma mulher trans[género]”, acrescentou.

Marina contou, ainda, que quando foi coroada não estava à espera de uma repercussão tão grande: “Estava a pensar no Miss Universo, não estava a pensar nos comentários ou na opinião das pessoas. Honestamente, achei que ia ser uma notícia muito pequena (…) pensava que já estávamos num ponto do nosso país em que as mentalidades já estavam mais ajustadas àquilo que é a realidade da diversidade dos seres humanos e aquilo que é a atualidade do mundo real, em termos de sociedade”.

Este ano, pela primeira vez, há duas concorrentes transgénero a disputarem a coroa no país da América Central. Rikkie Kollé foi nomeada Miss Holanda e irá compartilhar a experiência com a portuguesa Marina.

Em declarações à mesma publicação, Marina Machete disse: “Vai ser uma experiência única. Não vamos ter de viver isto sozinhas, como a Angela [primeira mulher transgénero a competir no Miss Universo] viveu em 2018, vamos ter o apoio uma da outra”.