“Me Too” gera mudanças. Concurso Miss América acaba com desfile de concorrentes em biquíni

O concurso de beleza Miss América vai sofrer alterações na sua próxima edição. O desfile das candidatas ao título em fato de banho vai deixar de acontecer, anunciou, esta terça-feira, a organização do evento.

O movimento “Me Too”, criado há menos de um ano para apoiar as vítimas de assédio e abuso sexual em Hollywood, continua a gerar consequências na sociedade norte-americana. A não-objetificação dos corpos das mulheres é um dos apelos, que foi tido em conta pela competição anual Miss América.

A organização anunciou que a etapa do concurso em que as aspirantes ao título desfilam em biquíni foi suprimida. “Não somos mais um desfile, somos uma competição. Não vamos julgar mais as nossas candidatas pela sua aparência física externa”, afirmou Gretchen Carlson, presidente do Conselho de Administração da Miss America Organization, no programa “Good Morning America”, da ABC, o mesmo canal responsável pela transmissão do concurso.

A alteração vai fazer-se notar já na próxima edição do evento, marcada para o dia 9 de setembro em Atlantic City, Nova Jérsia. A fase em questão do concurso vai ser substituída por entrevistas às candidatas.

TEXTO: Dúlio Silva