Nina Agdal “aterrorizada” com a indústria da moda. “Se têm interesse em mim, sabem que nunca fui magra”

Nina Agdal utilizou o seu Instagram para denunciar publicamente a produção de uma revista que se recusou a publicar a sua sessão fotográfica porque o seu “visual não correspondia ao seu portefólio”, alegando que a manequim “não cabia nas medidas modelo”.

A ex-namorada de Leonardo DiCaprio perdeu um trabalho por não caber nas “medidas modelo”. Esta foi a justificação da revista para a qual a jovem dinamarquesa, de 25 anos, se deixou fotografar “há alguns meses, com uma equipa criativa na qual acreditava”.

Mas as coisas não correram como o previsto, e Nina Agdal confessa-se agora “dececionada” e “aterrorizada” com a indústria da moda. No seu Instagram, onde é seguida por mais de um milhão e meio de pessoas, a manequim explicou o que esteve na origem da sua deceção.

“Há alguns meses concordei fotografar com uma equipa criativa e na qual acreditava e com a qual estava entusiasmada por colaborar”, começa por dizer. Depois de participar na produção, o seu agente “recebeu um e-mail sem remorsos em que lhe foi comunicado que o editorial não seria impresso por não refletir bem o talento da manequim e não se enquadrar no mercado da publicação”, continuou.

“O publicitário alegou que o meu “look”não correspondia ao meu portefólio e que eu não cabia nas medidas, o que é completamente falso. Se alguém tem qualquer interesse em mim, sabe que eu não tenho um corpo típico de modelo. Tenho um porte atlético e curvas saudáveis”, explicou, visivelmente revoltada com o desfecho do trabalho sem, contudo, revelar para que publicação se deixou fotografar.

Today, I’m disappointed and appalled at the still very harsh reality of this industry. A few months ago, I agreed to shoot with a creative team I believed in and was excited to collaborate with. When my agent received an unapologetic email concluding they would not run my cover/story because it “did not reflect well on my talent” and “did not fit their market,” the publisher claimed my look deviated from my portfolio and that I did not fit into the (sample size) samples, which is completely false. If anyone has any interest in me, they know I am not an average model body – I have an athletic build and healthy curves. After a tough year of taking a step back from the insensitive and unrealistic pressures of this industry and dealing with paralyzing social anxiety, I walked into that shoot as a 25 year old WOMAN feeling more comfortable in my own skin and healthier than ever before. Some days I’m a sample size, some days I’m a size 4, some a 6. I am not built as a runway model and have never been stick thin. Now more than ever, I embrace my curves and work diligently in the gym to stay strong and most of all, sane. I am proud to say that my body has evolved from when I started this crazy ride as a 16 year old GIRL with unhealthy and insufficient eating habits. So, shame on you and thank you to the publisher for reaffirming how important it is to live your truth and say it out loud, no matter who you are or what size. I decided to release an image to draw awareness and support of an issue that's bigger than just myself and affects so many people not just in the fashion industry, but in general, with the goal of bringing women from all over together in a celebration of our bodies. Let's find ways to build each other up instead of constantly finding ways to tear each other down. #bodyshaming #bodyimage #selfimage #dietculture #mybodymybusiness

A post shared by Nina Agdal (@ninaagdal) on

A modelo aproveitou ainda para explicar que, “depois de um ano afastada da indústria devido às suas pressões pouco realísticas e insensíveis”, começou a procurar aceitar-se como é e a respeitar o próprio corpo. “Há dias em que visto um tamanho ‘modelo’, outros um 36 e outros um 38. Não tenho a constituição de uma modelo de passarela e nunca fui magra. Agora, mais que nunca, aceito as minhas curvas e trabalho arduamente no ginásio para me manter forte e, acima de tudo, sã. Portanto, tenham vergonha. E agradeço ao publicitário por reafirmar quão importante é vivermos a nossa verdade e dizê-la em voz alta, independentemente de quem somos ou do nosso tamanho”, conclui.

TEXTO: Mafalda Carraxis