Nuno Santos comenta sanção de Hélder: “A TVI fez o que devia”

Nuno Santos
Instagram Nuno Santos

O Diretor de Programas da TVI esclareceu nas redes sociais a posição da estação televisiva face à “discriminação sexual” de um dos concorrentes do “Big Brother 2020”.

Após a controvérsia da decisão da TVI de autonomear Hélder, Nuno Santos sublinhou esta terça-feira que “são as regras de um programa de televisão mas refletem a lei e o bom-senso”.

“O concorrente Hélder para defender o seu estatuto de ‘mulherengo’, sublinhou que, antes tal, que ser como um outro concorrente de orientação sexual diferente.
Nas sociedades ocidentais estas graçolas boçais que sempre visam os que são diferentes, os que estão mais expostos, tantas vezes mulheres ou crianças, já tiveram um preço muito elevado”, afirmou na conta de Instagram.

“Não, o Hélder não foi fisicamente agressivo, tentou até ser subtil no seu comentário, tê-lo-á feito como exibição da sua masculinidade. Mas, ainda que assim fosse, ainda que assim seja, o tema não tem relevância?! Era imperativo mostrar e contextualizar a situação – aliás exibida em direto – e aplicar as regras. São as regras de um programa de televisão, mas refletem a lei e o bom-senso”, acrescentou.

O Diretor de Programas da TVI referiu ainda que outra decisão por parte da estação televisiva “nunca seria adequada aos tempos em que vivemos”.

“A TVI fez o que devia fazer. Qualquer outra atitude poderia ser entendida, até mais elogiada, mas nunca seria adequada aos tempos em que vivemos. Estamos em 2020”, destacou