Perseguida e ameaçada. Tribunal proíbe “stalker” de estar a menos de 100 metros de Paris Jackson

Paris Jackson viu o tribunal dar-lhe razão no processo que moveu contra um “stalker” que a persegue desde o passado mês de junho. A filha de Michael Jackson recorreu à justiça e o juiz ordenou o arguido a ficar a pelo menos cem metros da jovem.

É um problema que afeta muitas estrelas de Hollywood, por quem muitos fãs vivem obcecados. Desta vez, a vítima foi Paris Jackson, filha de Michael Jackson, que pediu proteção contra um homem que lhe fazia esperas à porta de um estúdio de gravação.

O “stalker” chama-se Nicholas Lewis Stevens e apareceu no estúdio pela primeira vez no passado mês de junho. De acordo com o site TMZ, que teve acesso ao processo, o fã terá tido uma breve interação com Paris e ter-lhe-á dito que ia várias vezes ao estúdio e que, numa dessas vezes, tinha estado 15 horas à sua espera.

Um amigo de Paris terá perguntado ao fã o porquê de ele estar ali e não podia ter obtido uma resposta mais direta: “O que achas que estou a fazer? Estou a perseguir a tua cabra.”

A polícia foi chamada ao local e deteve o suspeito depois de este ter dirigido uma ameaça à filha de Michael Jackson. “À meia-noite tudo isto estará acabado… e acaba com ela ou com uma espingarda”, terá dito. Antes disso, Stevens já tinha escrito no Twitter que ele e Paris eram “almas gémeas”.

Paris, de 20 anos, apresentou queixa e viu o tribunal conceder-lhe uma ordem de restrição temporária. Segundo o TMZ, Nicholas Lewis Stevens tem de estar a pelo menos cem metros de Paris e está proibido de a contactar até à audiência judicial, que deverá acontecer no final do mês.

TEXTO: João Manuel Farinha