Ronaldo em tribunal. Recorde outros famosos que também prestaram contas à justiça

Fotografia: Joana Sousa/Global Imagens

Cristiano Ronaldo apresentou-se ao juiz esta segunda-feira. O craque português depôs no tribunal de Pozuelo de Alárcon, em Madrid, pelas 11 horas locais (10 horas em Portugal continental), para ser ouvido no âmbito da investigação de que é alvo por suspeitas de defraudar o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros, provenientes de direitos de imagem, entre 2011 e 2014.

Percorra a galeria e recorde outras figuras públicas portuguesas que estão ou já estiveram a braços com a justiça.

Isabel Figueira e César Peixoto

Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Depois do divórcio, em 2007, a atriz e apresentadora processou o ex-futebolista por falta de pagamento da pensão de alimentos do filho, Rodrigo. César Peixoto foi condenado a pagar o valor em dívida e viu a pensão aumentar, em virtude do seu vencimento também ter crescido. Em 2016, o ex-casal voltou a trocar acusações relativamente ao mesmo tema.

Joana Lemos e Cinha Jardim

Em 2010, na leitura da sentença do processo que Joana Lemos moveu contra Sofia, Mituxa e Cinha Jardim. Na foto, as três com o advogado.
Fotografia: Ana Pereira/Global Imagens

Em 2005, a antiga piloto Joana Lemos terá, alegadamente, agredido Sofia Jardim, sobrinha de Cinha Jardim. Em resposta, Cinha e a irmã Mituxa proferiram algumas acusações na comunicação social que levaram Joana Lemos a mover um processo aos três elementos da família Jardim. A antiga piloto venceu a batalha judicial e as duas irmãs foram condenadas ao pagamento de uma indemnização de 2 mil euros cada. Sofia Jardim foi absolvida.

Marina Santiago

Fotografia: Arquivo Global Imagens

Durante 16 anos, a atriz tentou provar que era filha de Fernando Pinho Teixeira, conhecido como “rei do aço”. O empresário terá tido um relacionamento com a mãe da atriz mas nunca a reconheceu como filha. Em 2013, um teste de paternidade deu razão a Marina Santiago, que concretizou o desejo de deixar de ser filha de pai incógnito e passou a ter direito a uma herança, avaliada em mais de cem milhões de euros.

João Pinto e Carla Baía

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Estiveram casados 16 anos mas divergências quanto à divisão de bens deram origem a um divórcio litigioso. O antigo futebolista teve de pagar cerca de cinco milhões de euros à antiga companheira.

Miguel

Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Depois de um tiroteio à porta de uma discoteca em Corroios, em 2009, o antigo lateral do Benfica e da Seleção Nacional foi acusado pelo Ministério Público de posse de arma proibida. O jogador negou a autoria dos disparos e acabou por ser um amigo, presente na noite do incidente, a ser condenado a um ano e meio de prisão com pena suspensa pela possa da arma.

Isaltino Morais

Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens

O antigo presidente da Câmara Municipal de Oeiras foi condenado a dois anos de prisão por fraude fiscal e branqueamento de capitais. Cumpriu pena na prisão da Carregueira e foi libertado em 2014. Este ano voltou a candidatar-se à presidência do município como independente.

Vale e Azevedo

Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens

O homem que presidiu o Benfica entre 1997 e 2000 cumpriu três anos e sete meses de uma pena de onze anos e meio de prisão por crimes de burla, apropriação indevida de dinheiro e outros crimes económicos. Em junho de 2016 saiu em liberdade condicional e no no final mês passado foi detido na fronteira do Mónaco, devido a um mandado de detenção europeu emitido antes de ser preso. A situação acabou por ser resolvida e foi permitida a entrada de Vale e Azevedo naquele que é um dos poucos paraísos fiscais europeus.

Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho

Fotografia: Álvaro Isidoro/Global Imagens

A apresentadora acusa o ex-marido de violência doméstica, num processo que se arrasta há vários meses em tribunal e que desencadeou várias acusações de ambas as partes, desde agressões, ameaças e negligência parental.

José Castelo Branco

Fotografia: Jorge Carmona/Global Imagens

O “conde” e a mulher, Betty Grafstein, foram testemunhas do principal arguido do famoso caso das orgias, um homem de Famalicão acusado de violência doméstica e de obrigar a mulher a participar nas orgias, sob ameaça de armas de fogo. O arguido viria a ser condenado. O “marchand d’art” foi ainda condenado a uma multa, mais tarde substituída por trabalho comunitário, por injúrias e maus-tratos a uma antiga empregada. José Castelo Branco decidiu não cumprir a pena e viajou para Nova Iorque, onde vive com a mulher. Não mais regressou a Portugal, correndo o risco de ser preso quando voltar ao nosso país.

Teresa Guilherme

Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens

A apresentadora processou o banqueiro Ricardo Salgado na tentativa de recuperar três milhões de euros que terá aplicado em produtos financeiros do Grupo Espírito Santo (GES). Teresa Guilherme avançou com uma ação cível contra Ricardo Salgado, a quem se referiu numa entrevista como uma “não pessoa”.

TEXTO: João Farinha