Herói nacional? “Isso é para o Ronaldo”, afirma Salvador Sobral

TEXTO: Ana Filipe Silveira

Na conferência de imprensa que se seguiu à final do Festival Eurovisão da Canção, Salvador Sobral explicou porque a delegação portuguesa demorou a perceber que tinha vencido o certame.

“É preciso ser um matemático para entender os votos”, declarou Salvador Sobral na conferência de imprensa que se seguiu à final do Festival Eurovisão da Canção, este sábado à noite em Kiev, na Ucrânia. “Alguém da nossa equipa disse que ganhamos e foi uma boa surpresa”, acrescentou.

O músico português garante que, de futuro, vai “continuar a fazer” a sua vida. “Isto é divertido, mas amanhã ninguém se vai lembrar. Vou lançar um segundo álbum e é nisso que estou a pensar”. Garante que não quer pensar em si como um “herói nacional, pois “seria muito estranho”. “Herói é o Ronaldo e assim espero que continue”, sublinhou.

Acrescentou que a sua intenção sempre foi “cantar uma bela música em português” e que “nunca pensou nos votos” que um tema cantado em inglês lhe pudesse trazer.

Sobre a importância da “música com conteúdo, que abordou no palco onde atuou, voltou a referir que nunca escreveu “uma canção para tocar nas rádios”. “O meu álbum saiu em 2015 e ninguém ligou nenhuma. Depois do Festival, dizem que é uma bela canção e já compram o meu disco”.

Luísa Sobral também prestou declarações e disse que o segredo da vitória foi uma “combinação de fatores”, desde a interpretação do irmão à “simplicidade da música”. “É uma canção direta ao coração e isso funciona 10 vezes melhor do que qualquer outra coisa”.