É um “bailado” magistral, de gestos elegantes e movimentos delicados, que vale a pena ficar registado para a posteridade. Para a história da modalidade já ficou: pela primeira vez esta dupla ultrapassou a barreira dos 200 pontos.

Gabriella Papadakis e Guillaume Cizeron conseguiram um feito que até agora nunca tinha sido alcançado. No Grande Prémio de Pequim, a atuação desta dupla somou 200,43 pontos, uma avaliação nunca antes conseguida.

A parelha francesa protagonizou um momento de rara beleza ao som da sonata Claro de Luna, de Beethoven.

O anterior recorde mundial estava nos 199,85 pontos e tinha sido alcançada pelo par do Canadá Tessa Virtue e Scott Moir, há apenas uma semana.

Um momento único que vale a pena ver de novo.

TEXTO: Nuno Azinheira