“Estive seis dias numa cadeira de rodas”. A difícil batalha da Princesa Eugenie na luta contra a escoliose

A Princesa Eugenie de Inglaterra decidiu abrir o coração sobre o problema de escoliose que a afetou durante a infância. Através da sua conta no Instagram, publicou pela primeira vez nas redes sociais a fotografia de uma radiografia sua.

A neta da Rainha Isabel II utilizou, este sábado, o Instagram para assinalar uma causa que considera muito importante, “o Dia Internacional da Consciencialização para a Escoliose” e revelou-se “orgulhosa de compartilhar os [seus] raios-x pela primeira vez”.

De seguida, a princesa deixou uma mensagem à equipa do Royal National Orthopaedic Hospital, no Reino Unido, que segundo Eugenie “trabalha incansavelmente para salvar vidas e melhorar a saúde das pessoas” e remeteu os seguidores para a página do hospital, na qual revela na primeira pessoa o problema que sofreu durante a sua infância.

A mulher que ocupa o nono lugar na linha de sucessão ao trono britânico foi diagnosticada com escoliose quando tinha 12 anos e necessitou de uma cirurgia corretiva.

“Durante a minha operação, que durou oito horas, os cirurgiões colocaram hastes de titânio de oito polegadas em cada lado da minha coluna e parafusos de uma polegada e meia na parte superior do meu pescoço”, escreveu Eugenie no texto onde explica a sua história.

Na mesma publicação, a princesa explicou que “depois de três dias em tratamento intensivo, [passou] uma semana numa enfermaria e seis dias numa cadeira de rodas”, mas que ainda assim conseguiu “voltar a andar depois disso”.

Devido ao problema de saúde que enfrentou, a princesa Eugenie é uma das principais apoiantes daquele hospital na luta contra a escoliose, uma doença caracterizada por uma deformidade em curva da coluna vertebral e que pode ou não ser acompanhada de rotação das vértebras.

TEXTO: Duarte Lago (com NA)