Harry e Meghan: Todos querem ter um “souvernir” do casamento. Merchandising pode valer 170 milhões de euros

Marcado para o dia 19 de maio, na capela de Saint George, no Castelo de Windsor, o casamento entre o Príncipe Harry e a atriz norte-americana Meghan Markle já começou a entusiasmar a população britânica. O enlace real pode render quase 600 milhões de euros.

A cerimónia que vai unir o Príncipe Harry à atriz Meghan Markle, não é só uma história de amor mediatizada em todo o mundo. Parece vir a ser também… um grande negócio. A Brand Finance, consultora empresarial, estima receitas a rondar os 500 milhões de libras – o equivalente a cerca de 585 milhões de euros.

Do valor estimado, 225 milhões de euros correspondem à receita do turismo – esperam-se 350 mil visitantes – e ao mercado hoteleiro, e 170 milhões são respetivos a merchandising e outros brindes e acessórios. É que são cada vez mais as encomendas e as lojas de souvenirs estão já cheias de pequenas e grandes lembranças com a cara dos noivos.

Copos, chaveiros, canetas, calendários ou marcadores, muitos são os objetos que têm servido para colocar o rosto de Harry e Meghan Markle e que têm invadido as lojas de comércio turístico.

Além do matrimónio de Harry e Meghan, o recentemente anunciado casamento entre Eugenia de York, filha do Príncipe André, e Jack Brooksbank para o outono deste ano, pode aumentar ainda mais a receita para a economia do país no presente ano civil.

 

TEXTO: Rafael Raimundo