“Estava a consumir cinco gramas de cocaína por semana”. A viagem de Ricardo Carriço ao mundo da droga

Na sua autobiografia, “A Verdade de Cada Um”, lançada esta semana, Ricardo Carriço viaja ao período “sex, drugs, and rock ‘n roll” da sua vida, em que esteve viciado em cocaína.

“Perdi o controlo. Fui perdendo o travão. Bebia-se um copo e a seguir cheirava-se. Quando dei por mim, estava a consumir 5 gramas de cocaína por semana. Não podia ser. Senti que tinha de acabar com aquela merda, que aquele não era o caminho”.

É desta forma que Ricardo Carriço fala do período louco da sua vida, em que mergulhou no abismo. Foi a seguir ao fim do casamento com Inês Jordão, que durou um ano.

“Passei por uma fase de sex, drugs and rock n’ roll após o divórcio, como acontece a muita gente”, diz o ator, que participa na novela da SIC “Vidas Opostas, na sua autobiografia, escrita em conjunto com o diretor da revista “Playboy”, Marco António Reis, e editada pela Oficina do Livro.

Carriço deixa ainda detalhado como teve de criar “adversidades” para conseguir ultrapassar o vício da cocaína. “Chorei muito e recomecei a pintar”, afirma no seu livro, que ficou disponível ao público na terça-feira passada.

Além do lançamento de “A Verdade de Cada Um” e o trabalho de ator, Ricardo Carriço leva também uma vida profissional como músico. Até ao momento, editou um projeto discográfico intitulado “O Meu Mundo”.

Percorra a galeria de fotografias e fique a conhecer a capa do livro “A Verdade de Cada Um”.

TEXTO: Tiago Firmino