Katy Perry sobre o conflito com Taylor Swift: “Foi ela que começou”

Fotografia: REUTERS/Danny Moloshok

TEXTO: Alexandre Oliveira Vaz

Mais do que confirmar os rumores que davam conta de desentendimento entre as duas cantoras norte-americanas, Katy Perry afirmou no programa do humorista James Corden, esta segunda-feira, que a “guerra aberta” entre ambas é da culpa de Taylor Swift.

Foi preciso Katy Perry participar no “Carpool Karaoke“, uma das rubricas do “talk show” humorístico de James Corden, “The Late Late Show”, que foi para o ar esta segunda-feira no canal CBS, para que a cantora norte-americana explicasse o que realmente aconteceu entre ela e Taylor Swift.

A rivalidade entre as duas artistas ocorreu há cerca de três anos. A razão? “Três bailarinos”, explicou Perry ao comediante britânico. “Honestamente, foi ela que começou e é tempo de acabar com isto”. “Tentei falar com ela sobre o assunto, mas não quis falar comigo”, acrescentou.

“Faço a coisa certa sempre que sinto que as coisas vão atrapalhar-se. Houve um silêncio total e depois ela escreveu uma música sobre mim e eu pensei: ‘ok, boa, boa, boa, é desta forma que queres lidar com isto? Karma!'”, prosseguiu.

De seguida, Corden perguntou-lhe se o conflito entre as duas irá algum dia terminar. “Queria dizer que estou pronta para que toda esta situação acabe”, respondeu Perry. “Há uma lei de causa e efeito. Se fizer alguma coisa vai haver uma reação e, acredite, vai mesmo haver uma reação. É uma questão de Karma, certo? Pessoalmente acho que as mulheres têm de estar unidas e não separadas. Mulheres unidas vão curar o mundo”, rematou.

Em 2014, Taylor Swift contou à revista “Rolling Stones” que a música “Bad Blood” foi inspirada numa outra artista feminina, embora nunca tenha revelado a identidade da cantora em questão. “Ela basicamente tentou sabotar toda a minha digressão”, disse, na altura, à publicação. “Ela tentou contratar um conjunto de pessoas sem o meu consentimento”.

A semana passada, Katy Perry lançou o seu novo “single” “Swish Swish“. O tema, segundo a imprensa internacional, é apontado como uma resposta às divergências entre as duas artistas “pop“.