Pamela Anderson: o que sobra da mulher sexy de “Marés Vivas”?

TEXTO: Ana Filipe Silveira

A estrela de “Marés Vivas”, série de sucesso dos anos 90, diz ser viciada em operações para modificar a imagem. A atriz surge agora com o rosto ligeiramente diferente daquilo a que o público estava habituado.

Foi um ícone da televisão mundial, quando há quase 30 anos, começou a dar nas vistas em “Marés Vivas”, a série que esteve no ar durante dez anos, com uma audiência recorde de 1,1 mil milhões de espectadores, em 1996, reunidos em 142 países, de acordo com o Livro Guinness de Recordes Mundiais.

Hoje com 49 anos, Pamela Anderson continua a dar nas vistas. Já não pelas suas loucas correrias no areal, mas pela forma como se tem adaptado ao avançar da idade. A atriz surgiu em Marbella, em Espanha, com novas feições. Os retoques estéticos foram notórios e já tinham sido alvo de comentários da imprensa, durante a sua presença no Festival de Cannes, em França.

A nova imagem pouco ou nada nos faz recordar da sensual C. J. Parker, uma das nadadoras-salvadoras de “Marés Vivas”. Questionada pelos jornalistas sobre o novo retoque e sobre a “ditadura da beleza”, Pamela admite ter ficado viciada em cirurgias estéticas.

“Tornei-me louca pelo meu físico e preocupo-me muito em estar bonita”, disse Anderson aos jornalistas, durante a inauguração do Playa Padre, um clube de verão junto ao mar naquela localidade espanhola.

A estrela de Hollywood afastou-se depois do grupo de jornalistas para não responder a mais questões sobre as cirurgias estéticas.

Apesar das mudanças de imagem, para tentar apaziguar as marcas do passar do tempo, a atriz e modelo canadiana continua a ser considerada por muitos como uma das mulheres mais sensuais do mundo.