“A decisão mais difícil de todas”. Remake de “O Corvo” em suspenso após saída do realizador

A estreia do remake de “O Corvo” estava prevista para o final do próximo ano, mas com as saídas quer do ator principal, quer do realizador do projeto, o filme está agora em causa.

Em apenas um dia a recriação de “O Corvo”, filme de sucesso lançado em 1994, perdeu duas peças fundamentais: Jason Momoa, o ator de 38 anos que iria vestir o principal papel e reencarnar a personagem Brandon Lee, e o realizador Corin Hardy.

Na sua conta de Instagram, Hardy não revelou o motivo que o levou a renunciar ao projeto, mas confessou que foi “a decisão mais difícil de todas”.

“Eu sabia desde o começo que a ideia de fazer uma nova versão de “O Corvo” não era para qualquer um, porque é um filme muito amado”, começou por escrever, ao mesmo tempo que admitiu ser um fã do filme original.

Ainda assim, o realizador sente que fez tudo o que estava ao seu alcance: “Dei tudo de mim nos últimos três anos e meio para tentar criar algo que fizesse justiça a tudo que eu queria”.

Já na quinta-feira, Jason Momoa explicou no seu Instagram o que o levou a sair do projeto. “Esperei oito anos para este papel dos sonhos. Eu amo vocês, Corin Hardy e Sony Pictures, mas infelizmente terei de esperar mais oito anos. Esta não é a nossa equipa. Mas juro que esperarei. James O’Barr, lamento desapontar-te, mas na próximo não te desiludirei. Este filme precisa ser livre. E aos fãs; desculpem. Não posso interpretar menos do que este filme merece, e ele precisa de amor. Estarei pronto quando o projeto for certo.”

Apesar das duas baixas de peso, os problemas para a realização do remake já tinham um historial. Segundo o site Deadline, as dificuldades na produção do remake devem-se ao controlo que a David Films, detentora dos direitos de “O Corvo” quer exercer sobre o filme.

As filmagens estavam previstas ainda para este ano, em Budapeste, na Hungria, mas com a saída dos dois profissionais o reatar do projeto fica em suspenso.

TEXTO: Duarte Lago