Netflix afasta Kevin Spacey devido às acusações de assédio sexual

A Netflix garantiu que não produzirá mais episódios de”House of Cards” que envolvam Kevin Spacey. A produção da série foi suspensa na passada terça-feira.

Depois de o mundo de Hollywood ter sido abalado por mais um escândalo de assédio sexual, que envolve agora Kevin Spacey, a Netflix fez questão de se distanciar do ator ao afirmar em comunicado que este deixará de fazer parte da série “House of Cards”. “A Netflix não se envolverá em futuras produções de ‘House of Cards’ que incluam Kevin Spacey”, anunciou a empresa.

O serviço de TV por “streaming” avança que avaliará juntamente com a MRC, a companhia que produz “House of Cards”, se existem condições para a série continuar sem Spacey e aponta já um possível substituto. A co-estrela da trama, Robin Wright, desempenha também um papel central, por isso a sua continuidade pode vir a ser feita com foco na sua personagem.

A Netflix recusa-se ainda a lançar o filme “Gore”, no qual Spacey interpreta o escritor norte-americano Gore Vidal, tendo o ator participado também no processo de produção.

Kevin Spacey ainda não foi detido ou acusado formalmente, mas está envolvido na polémica de assédio sexual de Hollywood, que estalou com acusações a Harvey Weinstein, depois de Anthony Rapp ter alegado que foi vítima de comportamentos impróprios em 1986, quando tinha apenas 14 anos, por parte do ator.

A estrela de filmes como “Beleza Americana” defendeu-se, dizendo que não se lembra de tais acontecimentos, mas pediu desculpa por atitudes incorretas que possa ter tido, ao mesmo tempo que assumiu a sua homossexualidade.

Depois da primeira denúncia, o número de acusações tem vindo a aumentar. Esta sexta-feira, oito elementos da produção de “House of Cards” acusaram o ator de abusos sexuais, noticiou a CNN, mantendo, no entanto, sob reserva a identidade das alegadas vítimas.

TEXTO: Ana Filipe Silveira