O juiz decidiu, está decidido. Filme “A Forma da Água” não é plágio

Fotografia: Divulgação

Um juiz da Califórnia, nos Estados Unidos, indeferiu o pedido interposto pelo filho do dramaturgo Paul Zindel, que acusou o realizador e os produtores de “A Forma da Água” de terem plagiado uma obra do seu pai, vencedor de um Prémio Pulitzer.

O processo movido por David Zindel contra o cineasta Guillermo del Toro e a produtora Fox Searchlight não vai ter seguimento. O magistrado Percy Anderson decidiu que a queixa de plágio não tem fundamento, já que as histórias do filme “A Forma da Água” e da peça de teatro “Let Me Hear You Whisper” partiram ambas de “uma premissa básica”.

A decisão foi conhecida esta terça-feira, cinco meses depois de o filho do falecido dramaturgo Paul Zindel ter alegado que a longa-metragem vencedora do Óscar de Melhor Filme era “idêntica de várias maneiras” com a obra do seu progenitor, lançada em 1969. Por isso, David Zindel exigia que lhe fossem entregues todos os lucros do filme, que arrecadou, segundo a imprensa, cerca de 170 milhões de euros nas bilheteiras.

Fotografia: Divulgação

“O Tribunal conclui que, embora existam algumas pequenas semelhanças, o filme e o livro não são substancialmente semelhantes à peça de teatro. (…) Embora ambos partilhem a premissa básica de um funcionário de uma instalação científica que decide libertar uma criatura que é submetida a experiências científicas, esse conceito é demasiado genérico para ser protegido”, pode ler-se na decisão do juiz.

Além do Óscar de Melhor Filme, “A Forma da Água” venceu, das 13 categorias em que estava nomeado, as estatuetas de Melhor Realizador, Melhor Banda Sonora e Melhor Cenografia.

TEXTO: Dúlio Silva