“Walking Dead” sem Rick Grimes? Se for bom para a série, “ele deve morrer”, diz o protagonista

Andrew Lincoln, o ator que dá vida ao protagonista, não ficaria espantado se tal viesse a acontecer. E diz mesmo que a sua personagem “pode e deve morrer”, se isso contribuir para um impulso na nova fase da série.

“Há uma quantidade limitada de fórmulas para prolongar uma narrativa ou outra. Não estou a dizer que a série deva acabar, mas eu acho que se há uma oportunidade de mudança em determinada altura e ela deve ser aproveitada”, afirmou ator, em entrevista ao site “Entertainment Weekly”.

Muito são também os que acreditam que, num futuro próximo, a série passará a ser protagonizada por Carl (Chandler Riggs), o filho de Rick, passando o enredo a centrar-se na história do jovem que cresceu naquele mundo pós-apocalíptico.

Mas Lincoln não é o único a achar que a produção poderia continuar sem a sua personagem. Questionado sobre essa hipótese, o criador da BD, Robert Kirkman, afirmou: “Eu acho que seria possível.” “Andy é o líder desta série e a sua dedicação é absolutamente inspiradora”, adiantou.

“Todos o seguem e ele é uma grande parte da série. Mas existe um grande grupo de personagens fortes que poderiam continuar a história. ‘The Walking Dead’ é, acima de tudo, uma história sobre este mundo e um grupo de pessoas que o habita.” No entanto, Kirkman ressalva: “Não me parece que que precisemos de nos preocupar com isso tão cedo”.

Questionado sobre o tema, o produtor Scott M. Gimple também afirmou que “The Walking Dead” poderia sobreviver à perda de Lincoln. “Absolutamente”, disse. “Nós não queremos continuar sem Rick Grimes, mas no ano 20, no ano 30, quem sabe?”, brincou.

TEXTO: Ana Margarida Leite