Parabéns, Luís Figo: 45 anos e tanta saúde!

Mais do que um antigo jogador de futebol, Luís Figo, que este sábado comemora 45 anos, é hoje uma marca transversal. Ao talento dentro das quatro linhas, Figo junta a experiência no marketing, no mercado imobiliário, nas aplicações digitais, entre vários outros negócios. Acaba de ser nomeado conselheiro da UEFA.

Um homem global num tempo global. Esta parece ser o lema de vida de Luís Figo, o primeiro grande símbolo internacional do futebol português no tempo da massificação mediática. Eusébio da Silva Ferreira, naturalmente, um nome imortal, está fora destas contas, pelo tempo em que viveu.

Se estes são os anos de Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do Mundo (mesmo que as opiniões mais radicais se dividam entre ele e Messi…), a segunda metade da década de 90 e a de 2000 deu ao Mundo o melhor Figo de sempre.

Formado nas escolas do Sporting, o antigo jogador, nascido em Almada a 4 de novembro de 1972, brilhou a grande altura no Barcelona, entre 1995 e 2000, antes de ter trocado o Cam Nou pelo Santiago Bernabéu, e a camisola do Barça pela do rival Real Madrid. Na Catalunha não lhe perdoaram a “traição”. Bem lhe chamaram de “pesetero”, mas os cinco anos passados em Madrid renderam-lhe o título de Melhor do Mundo para a FIFA em 2001.

Ainda passaria mais quatro anos no Inter de Milão até ter anunciado a sua retirada das quatro linhas.

Paralelamente foram 15 anos com a camisola da Seleção Nacional, de que foi capitão, onde totalizou 127 jogos e marcou 32 golos.

Afastado dos relvados, aos 45 anos Figo não deixa o mundo do futebol. Ainda há três semanas foi nomeado novo conselheiro para o futebol da UEFA. O antigo internacional vai trabalhar com o presidente do organismo, Aleksander Ceferin. Entre as suas áreas de intervenção está o aconselhamento acerca de leis e mudanças de normas do jogo e aspetos técnicos do desporto.

“Figo distinguiu-se por ser um jogador fantástico e a sua conduta sempre foi exemplar, tanto dentro como fora de campo. É uma figura muito respeitada e estou encantado por se juntar à nossa equipa”, disse o líder da UEFA.

Desde que pendurou as chuteiras, porém, Figo soube diversificar a sua vida, ultrapassando as fronteiras do futebol. Investiu no imobiliário, na hotelaria e restauração, no marketing, no mundo tecnológico e em outros negócios, como a atividade mineira em África, que têm vindo a tornar-se públicos.

Casado desde 2001, há 16 anos, portanto, com a modelo sueca Helen Svedin, de 43 anos, Figo é pai de três filhas: Daniela, 18 anos, Martina, 15, e Stella, 12.

TEXTO: Nuno Azinheira