Conquistou a vitória no Festival RTP da Canção de 1981, assim como o eterno carinho dos portugueses. Compôs alguns dos temas mais icónicos da música nacional, ainda hoje cantados de cor e salteado, 29 anos após a sua morte.

Podia ter sido médico mas a paixão pela música falou mais alto, chegou mesmo a licenciar-se em medicina mas nunca exerceu. Interpretou temas como “Playback”, com o qual ganhou o Festival RTP da Canção e representou Portugal na Eurovisão, “Cinderela” ou “Pó de Arroz” e compôs para os maiores artistas portugueses.

Recorde aqui “Pó de Arroz”. Apostamos que ainda a sabe de cor…

A carregar vídeo...

Amália Rodrigues e Herman José são alguns dos nomes com quem Carlos Paião trabalhou de perto. Para a fadista escreveu o tema ” O Senhor Extraterrestre” e foi o responsável pelo êxito “A Canção do Beijinho”, de Herman José, e pelos temas de Serafim Saudade, personagem criada pelo humorista.

Ao longo dos anos, têm sido vários os tributos feitos à obra do músico, com destaque para o álbum “Tributo a Carlos Paião”, lançado em 2008. Rui Veloso, Tiago Bettencourt ou Pólo Norte foram alguns dos nomes que integraram o disco e reinterpretaram os principais temas do artista.

Carlos Paião morreu aos 30 anos de idade, num acidente de viação perto de Rio Maior, no dia 26 de agosto de 1988.

TEXTO: João Farinha