Começou a tocar aos 21 anos, quando em 1978, ajudou a fundar os Xutos & Pontapés. Mas dez anos depois sabia que não queria continuar a tocar por muito tempo. “Talvez venha a ser um homem de negócios”, disse numa entrevista a Simone de Oliveira, no programa “Piano Bar”, na RTP.

“Daqui a dez anos espero não ter de tocar nada”. A frase é de Zé Pedro, que morreu esta quinta-feira em casa, vítima de doença prolongada. Numa entrevista a Simone de Oliveira que foi dada há 30 anos, o guitarrista dos Xutos & Pontapés achava que dificilmente a banda poderia durar mais uma década.

“A nível de rock, uma pessoa tem de ter uma grande disposição para o fazer. E para fazer as coisas com valor. Nós não somos intérpretes, somos criadores de um momento, enquanto tivermos uma certa agressividade para mostrar. E eu espero que dentro de dez anos os meus interesses sejam outros”, explicou na entrevista o músico, na altura com 31 anos.

Questionado por Simone sobre o que se veria a fazer aos 40 anos, Zé Pedro respondeu: “Vou ser um homem de negócios. Acho que tenho jeito para isso”, sublinhou.

A história não lhe deu razão. Os Xutos & Pontapés continuaram cheios de força e com impacto no mundo da música, com a referência maior do rock português. O último concerto foi dado a 4 de novembro no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

Zé Pedro morreu esta quinta-feira vítima de doença prolongada. Tinha 61 anos.

TEXTO: Nuno Azinheira