“Não me sinto um herói nacional. Isso é para o Ronaldo”

TEXTO: Ana Filipe Silveira e Alexandre Oliveira Vaz

Centenas de pessoas e um forte dispositivo de segurança receberam Salvador e Luísa Sobral no aeroporto de Lisboa, este domingo, depois da vitória histórica na Eurovisão.

Após conquistar o primeiro lugar no Festival da Eurovisão, no sábado, em Kiev, Salvador Sobral aterrou pouco depois das 15.50 horas no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. Acolhido por centenas de admiradores, o representante português falou à imprensa sobre a sua vitória.

O vencedor do Festival da Eurovisão voltou a reforçar aquilo que tinha dito depois de levar para casa o troféu de melhor canção no certame europeu.”Não me sinto um herói nacional. Isso é para o [Cristiano] Ronaldo”. Foram estas as primeiras palavras de Salvador Sobral à chegada a Portugal vindo da Ucrânia. O intérprete da canção vencedora do Festival Eurovisão da Canção, que se realizou este sábado à noite em Kiev, veio sereno, como é seu apanágio, mas feliz pela sua conquista.

Salvador Sobral considera que a noite de ontem foi sobretudo uma conquista para a música nacional. “A vitória de Portugal] é um bom passo para a música portuguesa e mostra que é mais do que aquilo que é atualmente”, explicou na conferência de imprensa logo após chegar a Lisboa.

Salvador Sobral não só deu a primeira vitória a Portugal no certame como o tema “Amar pelos dois”, composto pela sua irmã, Luísa Sobral, foi o mais pontuado de sempre da história do evento. A música esteve desde o primeiro minuto na primeira posição, nunca abandonando este posto ao longo das votações e chegando ao final com 758 pontos, uma conjugação das preferências dos espectadores e do júri especializado.

Suécia, São Marino, Letónia, Israel, Espanha, França, Lituânia, Arménia, Islândia, Sérvia, Suíça, Holanda, Geórgia, Hungria, Eslovénia, Polónia, Reino Unido e República Checa deram os seus 12 pontos ao nosso país.

“Esta pode ser a vitória da música com significado”, disse o jovem de 27 anos, referindo que “vivemos num mundo de música descartável, sem qualquer conteúdo”. “Espero que esta vitória signifique uma mudança nesse sentido daqui para a frente”, expressou Salvador Sobral.

“Amar Pelos Dois” foi um dos poucos temas interpretados no idioma “mãe” do concorrente. Uma escolha que faz “todo o sentido” para a compositora da música, Luísa Sobral. “Quando representamos o nosso país para mim faz todo o sentido que seja em português”. “Nós temos de sentir aquilo que estamos a cantar qualquer que seja o idioma”, acrescentou.

Consciente da “efemeridade” da sua vitória, o músico de 27 anos tem uma visão clara daquilo que pretende fazer no futuro. “Daqui a pouco tempo as pessoas vão esquecer-se de mim e ainda bem. A minha intenção é continuar a tocar e ser feliz por aí. Quero fazer as coisas com tranquilidade e continuar a tocar”, disse aos jornalistas.

Quanto ao prémio final (que na realidade foram dois) já tem um lugar cativo. “O prémio grande vai para casa dos nossos pais e o pequeno para a RTP que se esforçou em renovar este festival”, realçou o cantor.