Tudo começou com uma simples bolacha de aveia. Hoje é um negócio milionário do príncipe Carlos de Inglaterra

Fotografia: Jose Sena Goulão/Reuters

A Dutchy Originals nasceu em 1992 e foi fundada pelo príncipe Carlos. Começou por vender bolachas de aveia e já conta com uma gama de 300 produtos orgânicos. O ano passado faturou mais de 200 milhões de euros.

Apaixonado por agricultura biológica, o príncipe de Gales registou a marca em 1990 mas só em 1992 começou a comercializar produtos, ou melhor, um produto: uma bolacha feita a partir de trigo e aveia cultivados de forma biológica. A marca escocesa Walkers foi a responsável pela produção da bolacha e Carlos provou mais de cem variedades até chegar à “tal”.

Passados 25 anos, a bolacha que tem gravado o brasão do Duque da Cornualha (que é Carlos) continua a ser um dos principais produtos da marca. Mas não é o único. Carne, leite, pão, fruta, ovos, legumes, tudo biológico, passaram a fazer parte do catálogo da marca, que ultrapassa as 300 referências e exporta para mais de 30 países.

Hoje, tudo isto gera milhões, mas nem sempre foi assim. Após alguns resultados menos positivos, em 2009, o filho da rainha Isabel II associou-se à cadeia de supermercados Waitrose, que aumentou os pontos de venda da marca, até então comercializada em estabelecimentos mais restritos e a preços mais altos.

A marca passou a chamar-se Waitrose Duchy Organic mas uma percentagem dos lucros continua a reverter para a fundação do seu criador, a The Prince of Wales Charitable Foundation. Apesar de a Waitrose ter entrado no negócio, Graham Cassie, responsável pela marca, disse ao jornal britânico “The Telegraph” que o herdeiro ao trono britânico continua diretamente ligado ao projeto.

O público britânico reconhece qualidade aos produtos da marca, que até hoje apenas teve problemas devido a uma linha de ervas medicinais. O efeito das ervas foi questionado e a empresa foi acusada de publicidade enganosa, tendo as referidas ervas sido retiradas do mercado.

Entusiasta da agricultura, o príncipe Carlos é um acérrimo defensor dos produtos orgânicos e não utiliza fertilizantes nem qualquer tipo de produtos químicos na Home Farm, quinta que detém em Highgrove, onde cultiva várias variedades de plantas.

TEXTO: João Farinha