Por um palácio “mais verde”. Rainha Isabel II de Inglaterra declara “guerra” ao plástico

A rainha Isabel II de Inglaterra está a tomar medidas para reduzir o consumo de plástico em todas as propriedades reais. Proibir garrafas descartáveis faz parte dos planos do Palácio de Buckingham para travar o impacto ambiental.

O problema do elevado consumo de plástico, que tem vindo a provocar efeitos desastrosos por todo o planeta – afetando nomeadamente os oceanos e as espécies que lá habitam – está a sensibilizar a monarca britânica.

Já é conhecida a admiração da rainha Isabel II por David Attenborough, responsável pela realização de vários documentários relacionados com a natureza e a vida selvagem. Terá sido após uma conversa com o ecologista que a rainha decidiu tomar medidas para travar o impacto ambiental.

Em declarações ao “The Telegraph”, um porta-voz do Palácio de Buckingham afirmou que “há uma grande vontade de enfrentar o problema”. Pretende-se reduzir o consumo de plástico em todas as propriedades reais.

As novas medidas passam pela proibição de garrafas descartáveis e palhetas, o que irá aplicar-se tanto a cafés públicos, situados em residências reais, como a salas de jantar de trabalhadores. Os estabelecimentos deverão ainda utilizar embalagens biodegradáveis ao vender comida ou bebidas para fora.

Os fornecedores do Palácio de Buckingham, do Castelo de Windsor e do Palácio de Holyrood, situado em Edimburgo, estão agora apenas autorizados a utilizar pratos de porcelana e copos de vidro ou de cartão (recicláveis).

O palácio está também a passar por uma fase de remodelações para se tornar “mais verde”. Estão a ser instalados painéis solares e o sistema de eletricidade deverá ser renovado de forma a melhorar a qualidade da energia. Buckingham contará ainda com um sistema de compostagem de resíduos orgânicos.

TEXTO: Soraia Pires