Ex-assessora de Obama já reagiu ao comentário racista da protagonista de “Roseanne”. Série foi cancelada

Valerie Jarret já reagiu ao comentário racista de que foi alvo por parte da protagonista de “Roseanne” e que espoletou o cancelamento da série. A antiga assessora de Barack Obama diz que a situação deve ser encarada como um “momento de ensinamento”.

Em declarações ao canal de televisão MSNBC, Valerie Jarret garantiu, esta terça-feira, que está “bem” após a atriz Roseanne Barr a ter considerado, numa mensagem publicada na rede social Twitter e entretanto apagada, um produto da irmandade muçulmana e do “Planeta dos Macacos”.

“Primeiro de tudo, acho que temos de transformar isto num momento de ensinamento. Estou bem. Estou é preocupada com todas as pessoas que não têm um círculo de amigos e seguidores que possam vir em sua defesa”, afirmou a antiga assessora do ex-presidente dos Estados Unidos.

O comentário da protagonista da série “Roseanne” teve grandes repercussões. A mais grave foi o cancelamento da produção da ABC, comunicado pouco tempo depois de a polémica ter chegado às páginas da imprensa norte-americana.

Antes do anúncio, Valerie Jarret recebeu um telefonema de Bob Iger, diretor executivo da Disney, proprietária do canal que exibe a “sitcom”. “Ele queria que eu soubesse antes de ser tornado público que ele ia cancelar a série”, adiantou ao MSNBC, acrescentando que o responsável lhe apresentou um pedido de desculpas.

Roseanne Barr também já reagiu à polémica que causou, admitindo que se tratou de uma “piada de mau gosto”.

Já o presidente da ABC Entertainment, Channing Dungey, considerou o comentário “abominável, repugnante e inconsistente” com os valores da empresa.

TEXTO: Dúlio Silva