Exclusivo N-TV. Crime e segurança com “Linha Aberta”: eis a nova aposta da SIC para as 19h00

A SIC vai voltar a investir na informação no horário das 19h00. Desta vez, a aposta centra-se em Hernâni Carvalho. O comentador das manhãs vai ser o pivô de um programa sobre crime, justiça e segurança.

Chama-se “Linha Aberta”, será emitido diariamente de segunda a sexta-feira, entre as 19h00 e as 20h00, será apresentado em estúdio por Hernâni Carvalho, que comanda uma equipa de cinco jornalistas no terreno. A estreia, cuja data está ainda em aberto, deverá acontecer no final de setembro.

Eis em síntese uma das principais apostas da SIC para a “rentrée” televisiva. Animada com os bons resultados que a “Atualidade Criminal” consegue às 12h00, levando a última hora do “Queridas Manhãs” muitas vezes à liderança das audiências, a estação de Carnaxide vai voltar a mexer no horário de acesso ao “prime time”.

“O objetivo é acompanhar assuntos que têm cada vez mais acolhimento por parte do público”, explicou à N-TV uma fonte da SIC conhecedora do processo. Mas, admite, “a ideia é preparar o público para o “Jornal da Noite”, dando-lhe informação, e contribuindo para o crescimento do jornal em audiências”. “O Hernâni, com a sua penetração junto das classes que veem televisão àquela hora, é a pessoa certa para isso”, acrescentou a mesma fonte.

Contactado pela N-TV, o profissional, que deverá continuar a colaborar com o programa de Júlia Pinheiro e João Paulo Rodrigues, escusou-se a confirmar a informação de que vai apresentar um programa diário em canal aberto. “Por respeito a si, posso dizer-lhe que vai haver novidades, mas não lhe confirmo essa notícia. O que quer que venha a acontecer saber-se-á pelos canais próprios da empresa”, sublinhou.

A N-TV sabe, porém, que a equipa de cinco jornalistas, que foram contratados exclusivamente para este programa, já estão no terreno a trabalhar, sob orientações de Hernâni Carvalho, que já foi autor de dois programas do género: o “Nas Ruas”, na SIC, em 2012, e o “Histórias da Noite”, na RTP, em 2000.

Nesses dois casos, porém, o programa não era conduzido em estúdio: os pivôs das reportagens eram lançados no exterior, no terreno. Segundo a mesma fonte adiantou à SIC, desta vez será diferente. A estação aposta “na credibilidade do nome e do rosto do Hernâni” para dar a cara pelo programa em estúdio.

Ao contrário do que acontece nos dois programas congéneres que já existem na televisão portuguesa, embora no cabo, o “Rua Segura”, na CMTV, e o “SOS 24”, na TVI24, este novo “Linha Aberta” da SIC não terá comentadores residentes. “Sempre que se justificar haverá convidados em estúdio para enquadrar os assuntos”.

Prevista está ainda a participação direta dos espectadores: quer através de denúncias de casos que queiram ver investigados, quer através do comentário em direto às reportagens exibidas durante o programa. “Por ser em sinal aberto, num horário de crescente entrada de público no consumo televisivo, queremos que este seja o grande fórum de discussão das temáticas de crime, segurança e justiça em Portugal”, apontou a mesma fonte, recordando o papel agregador que, no arranque da SIC, o “Praça Pública” de Júlia Pinheiro também teve.

O horário das 19h00, um dos mais importantes da televisão generalista, por causa do acesso ao “prime time” e das receitas comerciais daí provenientes, é um dos principais problemas do canal de Carnaxide.

Os maus resultados da novela brasileira “Novo Mundo”, com uma quota de mercado média abaixo dos 10%, fez com que a ficção da Globo passasse do acesso ao horário nobre para o “late night”, depois da uma da manhã. O último episódio exibido às 19h00 aconteceu a 2 de junho, uma sexta-feira.

Depois de umas experiências com “Gosto Disto”, o canal dirigido por Francisco Pedro Balsemão acrescentou uma hora ao “Juntos à Tarde”, com Rita Ferro Rodrigues e João Baião, que é exibido até às 20h00.

A última vez que a SIC apostou em Informação naquele segmento horário foi em 2009 e 2010, com o “Nós Por Cá” apresentado por Conceição Lino.

TEXTO: Nuno Azinheira