Emmy 2017: Uma noite dominada por “The Handmaid’s Tale”, “Big Little Lies”… e Sean Spicer

Ter “A Guerra dos Tronos” fora da corrida permitiu à Academia Internacional das Artes e Ciências da Televisão dos Estados Unidos entregar os prémios Emmy a novas histórias e novos protagonistas. A cerimónia aconteceu este domingo à noite no Teatro Microsoft, em Hollywood, Los Angeles, e foi recheada de momentos políticos.

Desde a sua estreia, em 2011, que a série épica de George R.R. Martin dominou todas as entregas de prémios Emmy. Mas, este ano, “A Guerra dos Tronos” não esteve entre os nomeados – a HBO não a emitiu em tempo útil para a tornar elegível -, permitindo que outras produções se destacassem e à Academia Internacional das Artes e Ciências da Televisão dos EUA entregar uma primeira distinção à plataforma de streaming norte-americana Hulu (não disponível em Portugal).

Foi com “The Handmaid’s Tale“, baseada na adaptação do romance homónimo de Margaret Atwood. A série criada por Bruce Miller e que retrata a violência contra as mulheres levou para casa cinco estatuetas: Melhor Série Dramática, Melhor Atriz em Série Dramática (Elisabeth Moss), Melhor Atriz Secundária em Série Dramática (Ann Dowd), Melhor Guião de Série Dramática (Bruce Miller) e Melhor Realizador de Série Dramática (Reed Morano).

Igual número de prémios recebeu “Big Little Lies“, da HBO, que saiu vencedora nas categorias de Melhor Minissérie, Melhor Realizador de Minissérie (Jean-Marc Vallée), Melhor Atriz em Minissérie (Nicole Kidman) e melhores atores secundários em Minissérie (Alexander Skarsgard e Laura Dern).

Também o “Saturday Night Live” (SNL) foi vencedor da noite, com nove troféus arrecadados – o recorde da noite -, incluindo cinco de caráter técnico. O programa de sátira política estava nomeado em 22 categorias, a par da série “Westworld” (HBO), e distinguiu Alec Baldwin como Melhor Ator Secundário em Série de Comédia pela sua imitação de Donald Trump e Kate McKinnon como Melhor Atriz Secundária pela sua caricatura da ex-candidata presidencial Hillary Clinton. Criado pelo produtor Lorne Michaels em 1975, SNL soma perto de 830 emissões e, até à data, tinha conquistado um total de 45 Emmy.

“Sabíamos que a maior estrela de televisão do ano passado foi Donald Trump. E Alec Baldwin”, ironizou o apresentador da gala, Stephen Colbert, em referência ao ator que personifica Trump em SNL.

“Finalmente, sr. Presidente, aqui está o seu Emmy”, disse Alec Baldwin ao receber o galardão, numa referência ao “reality show” de 2004 “The Apprentice”, (“O Aprendiz”, em português), conduzido por Trump. Baldwin acrescentou que depois de ter tido três filhos em três anos, a sua mulher não deu à luz no ano passado, um ano em que a sua interpretação do papel do presidente dos Estados Unidos impulsionou as audiências do SNL para um nível recorde.

“Quando alguém usa uma peruca cor de laranja, isso atua como contracetivo”, afirmou.

Em termos políticos, esta cerimónia dos Emmy ficou ainda marcada pela aparição surpresa do ex-porta-voz da Casa Branca Sean Spicer. Colbert preparou a entrada de Spicer ao afirmar que não fazia ideia do número de pessoas que estaria a ver a cerimónia dos prémios. Foi então que Spicer surgiu em palco atrás de um pódio. “Esta será a maior audiência de sempre a ver os Emmy, ponto final, ao vivo e em todo o mundo”, disse.

A frase remeteu para a multidão que Spicer disse ter marcado presença no dia da tomada de posse de Donald Trump como presidente, a 20 de janeiro deste ano. “Wow, isso, realmente acalma o meu ego frágil”, respondeu Colbert.

Sean Spicer demitiu-se em 21 de julho, tendo sido substituído pelo financeiro nova-iorquino Anthony Scaramucci, de 53 anos, que esteve pouco mais de uma semana em funções, acabando por ser despedido em 31 de julho. A atual porta-voz da Casa Branca é Sarah Sanders.

Veja a lista com os principais vencedores:

Melhor Série Dramática: “The Handmaid’s Tale”
Melhor Realizador em Série Dramática: Reed Morano, “The Handmaid’s Tale”
Melhor Ator de Série Dramática: Sterling K. Brown, “This is Us”
Melhor Atriz de Série Dramática: Elisabeth Moss, “The Handmaid’s Tale”
Melhor Ator Secundário de série Dramática: John Lithgow, “The Crown”
Melhor Atriz Secundária de série Dramática: Ann Dowd, “The Handmaid’s Tale”
Melhor Série de Comédia: “Veep”
Melhor Realizador de Comédia: Donald Glover, “Atlanta”
Melhor Ator em Série de Comédia: Donald Glover, “Atlanta”
Melhor Atriz em Série de Comédia: Julia Louis-Dreyfus, “Veep”
Melhor Ator Secundário em Série de Comédia: Alec Baldwin, “Saturday Night Live”
Melhor Atriz Secundária em Série de Comédia: Kate McKinnon, “Saturday Night Live”
Melhor Programa de Entretenimento: “Last Week Tonight with John Oliver”
Melhor Série de Sketch: “Saturday Night Live”
Melhor Guião de Série de Drama: Bruce Miller, “The Handmaid’s Tale”
Melhor Minissérie: “Big Little Lies”
Melhor Realizador de Minissérie ou Telefilme: Jean-Marc Vallee, “Big Little Lies”
Melhor Ator de Minissérie ou Telefilme: Riz Ahmed, “The Night Of”
Melhor Atriz de Minissérie ou Telefilme: Nicole Kidman, “Big Little Lies”
Melhor Ator Secundário de Minissérie ou Telefilme: Alexander Skarsgard, “Big Little Lies”
Melhor Atriz Secundária de Minissérie ou Telefilme: Laura Dern, “Big Little Lies”
Melhor Guião de minissérie, Filme ou Especial: Charlie Brooker, “Black Mirror: San Junipero”
Melhor Realizador de Programa de Entretenimento: Don Roy King, “Saturday Night Live”
Melhor Guião de Comédia: Aziz Ansari e Lena Waithe, “Master of None”
Melhor Reality Show: “The Voice”
Melhor Telefilme: “Black Mirror”

TEXTO: Ana Filipe Silveira com Lusa

 

VEJA TAMBÉM

Os melhores e os piores “looks” da passadeira vermelha. Clique na imagem abaixo: